'O Exército não matou ninguém, houve um incidente', diz Bolsonaro sobre morte de músico que teve carro fuzilado no Rio


O Globo - Cinco dias após a morte do músico Evaldo dos Santos Pereira, o presidente Jair Bolsonaro se pronunciou sobre o caso. Evaldo foi morto no último domingo quando o carro que dirigia foi fuzilado por cerca de 80 tiros disparados por militares do Exército . Bolsonaro classificou a ocorrência como um "incidente" e disse que "o Exército não matou ninguém".

— O Exército não matou ninguém, não. O Exército é do povo e não pode acusar o povo de ser assassino, não. Houve um incidente, uma morte. Lamentamos a morte do cidadão trabalhador, honesto, e está sendo apurada a responsabilidade. No Exército sempre existe um responsável, não existe essa de jogar para debaixo do tapete. Vai aparecer o responsável — afirmou o presidente durante um evento de inauguração do aeroporto de Macapá, nesta sexta-feira.

Comentários :

Translate

Pesquise

Doe e Ajude com PayPal

Receba notícias por E-mail