Túlio Gadelha: Reforma da Previdência maltrata professores e mulheres


O deputado federal Túlio Gadelha (PDT-PE) criticou a proposta de Reforma da Previdência entregue pelo presidente Jair Bolsonaro à Câmara dos Deputados.

"A Reforma da Previdência maltrata professores e, sobretudo, mulheres. Mtos precisam trabalhar em 2 ou 3 escolas para ter renda digna. As mulheres ainda têm jornada extra, em casa. Nessa reforma, profs de ambos os gêneros só poderão se aposentar aos 60, c/ 30 contribuição. Absurdo", escreveu o parlamentar no Twitter.



De acordo com o parlamentar, o projeto "traz duras medidas contra a população mais pobre, as mulheres, os professores e os trabalhadores rurais". "O governo diz que a reforma será igual para todos, mas exclui militares e ataca os que dependem do Benefício de Prestação Continuada".

A proposta prevê idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres se aposentarem. O cidadão também terá de contribuir por 40 anos para ter direito a 100% do benefício.

O projeto implementa o chamado regime de capitalização, em que o trabalhador abre uma conta individual e faz uma espécie de poupança para se aposentar no futuro.

O governo fixou a idade de 70 anos para idosos receberem o Benefício de Prestação Continuidade (BPC). Atualmente a idade é de 65 anos. O valor será de R$ 400, abaixo do salário mínimo vigente no Brasil.






Fonte: Brasil 247 

Comentários :

Translate

Pesquise

Doe e Ajude com PayPal

Baixe o App de Notícias