Temporal que atinge o Rio já causou pelo menos três mortes; cabo do teleférico do Alemão caiu


Pelo menos três pessoas morreram em função do temporal que cai na cidade, na noite desta quarta-feira (6). As informações são do secretário da Casa Civil da prefeitura, Paulo Messina. Ainda não há informações sobre os locais das mortes e em que circunstâncias aconteceram.

Equipes do quartel do Corpo de Bombeiros da Gávea, na Zona Sul do Rio, estão se deslocando para a Rocinha para atender chamados de moradores, que relatam deslizamentos na comunidade.

O volume de água que desce pelas ruas e vielas da Rocinha arrasta carros e, de acordo com um vídeo postado em redes sociais, também teria levado um homem. As imagens mostram o desespero da vítima.

O Centro de Operações da prefeitura informa que a Avenida Niemeyer está fechada nos dois sentidos, porque houve queda de barreira na altura do Vidigal. Equipes da prefeitura estão na região para orientar o tráfego.

A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, vinculada à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), informou que as sirenes das comunidades da Rocinha e Sítio Pai João, no Itanhangá, foram acionadas às 21h48 desta quarta-feira. Os alertas sonoros indicam que os moradores desocupem as residências e se encaminhem para os pontos de apoio nas localidades. Moradores da Rocinha confirmam que parte da comunidade está sendo evacuada.


A Defesa Civil do município informa também que, das 19h às 21h27, o órgão recebeu seis chamados para vistoria em desabamento de estrutura e um para vistoria em imóvel com rachaduras e infiltração, em edificações das zonas Norte e Oeste da cidade do Rio, nos bairros Curicica, Guaratiba, Recreio dos Bandeirantes, Camorim, Irajá, Inhaúma e Realengo.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, as equipes estão atendendo a muitos chamados sobre quedas de árvores, marquises. Até o momento, não há relatos de vítimas em função da forte chuva que atinge a cidade.

O Centro de Operações da prefeitura (COR) orientou que a população a evite sair de casa. A mensagem foi postada nas redes sociais do órgão: "Pedimos para a população EVITAR temporariamente seu deslocamento", consta de um trecho da mensagem. Além da precipitação, fortes rajadas de ventos, que chegaram a 110 km/h no Forte de Copacabana, também foram registradas em diferentes partes do Rio e causaram transtornos aos moradores. Na Avenida Lúcio Costa, na Reserva, Zona Oeste do Rio, um telhado foi arrastado até a pista, que tem um trecho bloqueado. Além disso, a força do ventos foi tamanha, que nem cabos que sustentavam o teleférico do Alemão, na Zona Norte, resistiram. O material caiu.

As setas mostram o cabo caído - Imagens de usuário do WhatsApp

Fonte: Jornal Extra

Comentários :