Ajudante de pedreiro baleado em Manguinhos, afirma que foi policial que estava na torre da Cidade da Polícia


O RJ2 conversou com um jovem que afirma ter sido baleado em Manguinhos por um atirador que estava na torre da Cidade da Polícia, na Zona Norte do Rio. Duas pessoas foram baleadas no mesmo local em um intervalo de quatro dias e morreram. Testemunhas afirmam que as circunstâncias são muito parecidas.

O rapaz de 22 anos foi atingido por um tiro que entrou pelas costas e saiu pela frente do corpo, na tarde do dia 29 de janeiro, em Manguinhos. Ele tinha ido comprar coco para o filho de 3 meses.

O ajudante de pedreiro não tem dúvidas de onde partiu o disparo. Ele foi levado pra UPA de Manguinhos.

Cinco minutos depois, uma outra vítima deu entrada na unidade. Era Rômulo Oliveira da Silva de 32 anos. Foi baleado na mesma rua e nao resistiu. Ele era porteiro da Fiocruz e estava de folga no dia. Rômulo era pai de dois filhos.

Carlos Eduardo Santos Lontra também foi morto no mesmo local quatro dias antes. Ele tinha 27 anos, trabalhava numa empresa de extintores de incêndio e deixou um filho de 5 anos.

Outras testemunhas dizem que os tiros foram disparados por policiais desta torre na Cidade da Policia.

O rapaz que sobreviveu agora tem ainda mais medo: “Minha preocupação é quando tem tiroteio dentro da favela. O policial [pode] entrar na minha casa e querer me esculachar, falar que eu tomei tiro em confronto. Eu não tenho nada para provar para eles”.

Fonte e mais no G1

Comentários :