Ramos sofre com rastro de problemas: passarelas inacabadas e alagamentos


Reduto do samba e do chorinho, Ramos, na Zona Norte do Rio, é um dos bairros cariocas mais tradicionais. Uma região que tem muita história e uma lista de problemas, principalmente os herdados após a construção da Transcarioca. Passarelas inacabadas, falta de lazer e alagamentos são algumas das reclamações de moradores.

Atravessar da Rua Cardoso de Morais para a Rua Uranos é tarefa arriscada. As passarelas foram parcialmente destruídas por causa das obras do BRT. Quem quer chegar do outro lado se aventura entre os carros no viaduto Cosme. "A gente corre risco, sabemos disso. Mas não nos restou outra opção", lamentou Silenio dos Santos, 56. "A gente passa no meio dos carros, mas mulheres com carrinho de bebê, idosos ou cadeirantes, por exemplo, não conseguem passar", relatou Vânio Correa, 62.

Mesmo com promessas da prefeitura de que após o encerramento das obras da Transcarioca de que o bairro seria revitalizado, canteiros de obras permanecem montados e viraram descarte de lixo. "O que parece é que éramos apenas obstáculos que foram retirados no meio do caminho para o progresso passar e chegar apenas a outros bairros. Aqui não tivemos nenhum benefício", reclamou o geógrafo Hugo Costa.



A falta de lazer também é problema. Alguns lugares que foram desapropriados para o BRT passar viraram espaços sem utilidade. "Podiam fazer praças, revitalizar os espaços", pediu Meire Pereira, 63.

Fechados há décadas, os cinemas de rua parecem ter ficado apenas na memória. "Seria um sonho ver nossos cinemas funcionando outra vez", disse Hugo.

Em dias de chuva a preocupação é com os alagamentos. A passagem subterrânea da Supervia fica inundada e o Rio Ramos transborda. Para o advogado Fernando José, 62, o bairro ficou abandonado. "A prefeitura não lembra de nós e as coisas só pioram cada dia". "Esta é a única passagem que temos de um lado para o outro e sempre que chove ficamos sem acesso", complementa Katia Paschoa, 57.



O que dizem os responsáveis

A Fundação Parques e Jardins disse que enviará uma equipe técnica ao local para verificar o que pode ser feito de revitalização das áreas inutilizadas.

A Supervia garantiu que a estação Ramos conta com bombas de sucção para evitar alagamentos na passagem subterrânea, mas que o escoamento é prejudicado pelo entupimento das galerias pluviais.

A Comlurb informou que fará a retirada do material. Com relação ao Rio Ramos, a Rio-Águas afirmou que realiza anualmente limpeza no local e enviará equipe para vistoriar e avaliar a atual situação e programar o serviço necessário.

Sobre os problemas deixados pela Transcarioca, a Secretaria de Infraestrutura e Habitação afirmou que faz estudos e vem conversando com moradores para elaborar projetos que atendam as necessidades da população da melhor maneira.

Já a RioFilmes disse que um projeto para revitalização dos cinemas de rua foi criado pela administração passada, que não deixou previsão orçamentária para sua realização.

Fonte: O Dia

Comentários :