Celular de jovem morta em baile funk em comunidade na Zona Norte sumiu do local do crime


O celular da jovem de 21 anos morta na madrugada de domingo, durante um baile funk na favela Mandela II, no bairro de Benfica, na Zona Norte do Rio, sumiu do local do crime. O aparelho estava na bolsa de Pammellla Rosanne Gomes Vieira. A informação é da 21ª DP (Bonsucesso), onde o crime foi inicialmente registrado — as investigações foram assumidas pela Delegacia de Homicídos (DH) da Capital.

Leia também: 

Jovem morre baleada em baile funk em Manguinhos, na Zona Norte


Pammella chegou a ser levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Manguinhos, mas chegou morta ao local. Informações de pessoas que estavam no baile funk são de que a arma de um traficante caiu e disparou acidentalmente. A bala atingiu a vítima no rosto.

A jovem estava com um parente no baile. Ele contou à polícia que havia ido com Pammella a uma festa em São Cristóvão, também na Zona Norte, na noite de sábado. Por volta das 2h30 de domingo, passaram em frente ao baile funk na entrada do Mandela II e pararam para conversar com amigas.



O parente revelou ainda que, por volta das 4h15, escutou três tiros. Logo depois, pessoas começaram a gritar que um Caveirão (blindado da Polícia Militar) entraria na comunidade. Houve correria. O parente foi para um lado e Pammella, para outro. Ainda de acordo com o relato da testemunha, várias pessoas caíram o chão e se machucaram durante a confusão.

Após o tumulto, o parente soube que Pammella havia sido levada para UPA. Ele contou que, na hora, pensou que a prima havia se machucado no corre-corre. Mas, ao chegar à unidade de saúde, soube que a jovem tinha sido baleada e morrido. A testemunha frisou que não tem ideia de onde partiu o tiro que atingiu sua prima, já que os tiros que ouvira haviam sido disparados longe de onde o baile acontecia.

A polícia pretende ouvir novamente o depoimento do parente que acompanhava Pammella. A jovem tinha um filho de 7 anos, com quem morava. A informação de que um blindado havia entrado na Mandela II foi negada pelo 22º BPM (Maré).

Fonte: Extra Online

Comentários :