Médicas fogem da UPA Costa Barros que foi invadida por traficante, na Zona Norte do Rio


Acostumados a trabalhar em meio à linha de tiro, numa área dominada por duas facções, os médicos da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Costa Barros, uma das regiões mais violentas da cidade, tentam manter a rotina, mesmo em dias de tiroteio, para atender a cerca de 100 pacientes por dia. Mas ontem, na quinta-feria (18/10), após a invasão do local por um traficante, que insistia em levar uma médica para atender a um criminoso baleado, foi diferente. Acuados, todos os profissionais fugiram, e a UPA foi fechada. Houve uma delicada negociação da médica com o bandido, e ela acabou não sendo “sequestrada”. E, como os outros, conseguiu escapar.

A Secretaria municipal de Saúde não se pronunciou. Não informou também se a UPA abrirá hoje. Os funcionários passaram por momentos de pânico justamente no Dia dos Médicos.

A UPA de Costa Barros fica num território disputado pelo tráfico dos morros da Pedreira e do Chapadão. Ontem, o traficante que invadiu a unidade saiu ameaçando voltar. Depois de saírem da UPA, os profissionais denunciaram o caso na 39ª DP (Pavuna).

Inaugurada em 2010, a UPA de Costa Barros é administrada pela Iabas, uma OS que não tem recebido em dia os repasses do município para pagar os salários dos funcionários. Ontem, os profissionais teriam se reunido na secretaria e exigido garantias de segurança para trabalhar.

Violência e ameaças têm marcado o dia a dia de profissionais de saúde em outras regiões dominadas por traficantes. Esta semana, a Polícia Civil divulgou imagens do circuito interno da UPA da Maré, que foi invadida por 50 homens armados no último domingo. O bando sequestrou um médico e uma ambulância. Dez homens armados, um deles com fuzil, entraram na emergência com um bandido ferido.

Fonte: Extra

Comentários :