Prefeito do Rio e sindicatos fecham proposta para encerrar greve de rodoviários


Depois de uma reunião de cerca de quatro horas entre representantes de sindicatos e o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, uma proposta para dar fim à greve dos rodoviários foi elaborada. Segundo Crivella, a sugestão de acordo será levada para uma assembleia da categoria que será realizada nesta segunda (11/6), às 16h.

— A proposta prevê o reajuste da inflação do ano passado e deste ano, além do aumento da cesta básica, uma reivindicação antiga deles. Com esses dois reajustes, acredito que o principal das reivindicações foi atendido — declarou o prefeito.

Estiveram na reunião com o prefeito, o presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus do Rio de Janeiro (Sintraturb Rio), Sebastião José, o presidente da Rio Ônibus (representação das empresas da cidade), Cláudio Callak. Também participaram do encontro nesta segunda-feira o secretário muncipal de Transportes (SMTR), Diógenes Dantas, o secretário municipal de Ordem Pública (Seop), Paulo Amendola, e procuradores do município.

Segundo Crivella, Sebastião José respondeu positivamente ao acordo. O prefeito fez um apelo para o fim da greve.

— Precisamos, para o bem de todos, trabalhar. O Rio precisa produzir e, pra isso, o setor de transportes é fundamental. Houve várias crises e nós não podemos suportar mais uma. Faço um apelo para voltarmos à normalidade — afirmou Crivella.

Impasse nas negociações

Uma paralisação de motoristas e cobradores de ônibus do Rio deixa a cidade com menos coletivos circulando pelas ruas, garagens cheias e passageiros sem transporte. O congestionamento na cidade também aumentou: às 9h, o Centro de Operações Rio (COR) registrou 80 km de congestionamento. A média para este horário das últimas três semanas foi de 58 km. Apesar de o sindicato dos motoristas e cobradores afirmar que a greve é "gradual", vários bairros do município sofrem os efeitos da movimentação nesta segunda-feira. Segundo o sindicato da categoria no Rio (Sintraturb Rio), até o momento, motoristas de cinco empresas paralisaram totalmente as atividades: Ideal, Paranapuan, Real, Redentor e Três Amigos.

Na quinta-feira, a direção do Sintraturb Rio rejeitou a proposta salarial encaminhada na pelo Rio Ônibus — sindicato que representa as 41 empresas operadoras da cidade. Após a negativa de acordo, o Rio Ônibus emitiu nota neste domingo onde alega ter recebido a resposta oficial apenas no fim da tarde desta sexta.

"O Rio Ônibus continua disposto a avançar nas negociações, e encaminhou ao sindicato dos rodoviários sugestão de novo agendamento de reunião para tentar solucionar o impasse o quanto antes", diz o texto.

Extra Online

Comentários :