Operação da PM deixa quatro mortos e três feridos na Cidade de Deus; motoristas ficam em pânico na Linha Amarela


A operação que a Polícia Militar realizou na manhã desta quinta-feira (3/5) na Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio, deixou quatro pessoas mortas e três feridas. De acordo com a Secretaria municipal de Saúde, sete pessoas baleadas na comunidade foram levadas ao Hospital municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, também na Zona Oeste, sendo que quatro estavam mortas quando chegaram à unidade.

Inicialmente, a secretaria havia informado que seis pessoas haviam morrido. O número foi atualizado para cinco mortos e depois alterado para quatro. A PM confirmou a morte dos quatro criminosos em consequência dos confrontos desta quinta-feira.

Segundo a coorporação, " a informação sobre outros dois mortos", que inicialmnete haviam sido divulgados pela secretaria, "não foi confirmada pelos policiais militares envolvidos na operação."

De acordo a PM, o saldo da operação às 19h era de quatro criminosos mortos, oito presos, dois fuzis duas quatro pistolas e drogas foram apreendidos. As ocorrências estão sendo registradas pela DH e 32ªDP".

As outras três pessoas foram atendidas no hospital, dentre elas um policial do Batalhão de Operações Especiais (Bope), que foi baleado na perna durante a operação. Ele transferido para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio, no Centro do Rio.

As outras três pessoas foram atendidas no hospital, dentre elas um policial do Batalhão de Operações Especiais (Bope), que foi baleado na perna durante a operação. Ele transferido para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio, no Centro do Rio.


A PM não detalhou as circunstâncias em que as pessoas foram baleadas. Às 11h45, a corporação informou, por meio de uma nota enviada à imprensa, que apenas quatro "suspeitos" haviam sido "feridos" e levados para o Lourenço Jorge. A corporação ainda está levantando as informações sobre os demais atendidos no hospital.



A operação na Cidade de Deus foi realizada para tentar localizar os suspeitos envolvidos no assassinato do capitão do 18º BPM (Jacarepaguá) Estefan Cruz Contreiras, de 36 anos. Ele foi morto durante uma tentativa de assalto no início da manhã no Pechincha, em Jacarepaguá, quando chegava ao batalhão para trabalhar.

Segundo a PM, equipes do Comando de Operações Especiais (COE) e da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) estão na Cidade de Deus. O Grupamento Aeromóvel (GAM) realiza o monitoramento da região com um helicóptero e o 31°BPM (Jacarepaguá) está fazendo um cerca a região para evitar a fuga de criminosos. O Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE) está na Linha Amarela.

Por causa da ação policial, a Linha Amarela foi fechada nos dois sentidos durante duas horas. Motoristas que passavam pela via expressa entraram em pânico. Alguns deixaram seus carros para trás e fugiram a pé.


A página "Onde Tem Tiroteio" postou no Facebook um vídeo que mostra pânico entre quem circulava perto da Cidade de Deus no momento dos disparos. Pelo menos três motoristas, em pânico, abandonaram seus carros na Linha Amarela.




Outro vídeo, também do "Onde Tem Tiroteio", mostra barricadas sendo queimadas na Cidade de Deus. É possível ouvir uma intensa troca de tiros na comunidade no momento em que as imagens foram feitas.


De acordo com relatos de moradores em redes sociais, os disparos se concentram nas localidades conhecidas como Apartamentos, Morrinho e Bloco Velho. O perfil "CDD na Web", dedicado a notícias da comunidade, cita uma intensa movimentação de policiais no Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO). Equipes dos batalhões de Operações Especiais (Bope) e de Polícia de Choque (BPChq) são vistas no local.
Fonte: Extra

Comentários :

Translate

Doe e Ajude com PayPal